Idéias guardadas

Chega mais perto da lareira, assim o sorvete derrete melhor. Deixa de lado por um tempo e vai tentar colocar na cabeça os nomes das correntes marinhas, ligações covalentes, geografia, química, e um monte de baboseira. Nessas aulas ela imagina e viaja, vai separando o inútil do útil. ‘Bem, aprender clima, um dia vai me servir’ , ela pensa. ‘Mas e a quantidade de elétrons da última camada do Cálcio, eu podia morrer sem saber, e não me faria falta’ .
Ela continua separando, e fica pensando na quantidade de gente que já estudou isso e nem se lembra mais, foram só algumas horas de estudo perdidas na vida. Fica pensando em quem nunca aprendeu, nunca lhe fez falta também. Com certeza, além de seus pais, muita gente inteligente a mataria se pudesse ler seus pensamentos. Não querer adquirir conhecimento é burrice.
Dá mais uma colherada no sorvete, mas nem interrompe seus pensamentos. Onde ela estava? Ah, sim no conhecimento. Então ela fica feliz de não podermos ler mentes, é lá que todas as suas idéias não aceitas ficam guardadas, à espera de alguém que também tenha trancado as suas. Não liga e não tem vergonha de admitir que só queria aprender o necessário, o aplicável, o útil. Termina o último pedacinho de sorvete, chega mais perto da lareira e se deita. Já cozinhou muito seus miolos com tudo aquilo. Ela queria mesmo é viver só de sorvete pra vida inteira, queria viver só do útil e do bom. Mas no fundinho ela sabe que está errada, ou querem fazê-la achar que está. 
Então ela guarda suas idéias para si e continua a viver a vida conformada com o inútil misturado em seus pensamentos.”

Com certeza, esse é o texto mais viajante que eu já escrevi, whatever, eu gostei (:

beijos ;*

Anúncios

Uma resposta to “Idéias guardadas”

  1. Manu Says:

    Eu vim agora comentar no teu blog e tava no outro post, quando vim clicar pra comentar apareceu esse outro. xD

    E eu adorei o seu texto. E como li no outro post, vi que você, assim como eu, também tem problemas de relacionamento com os pais. Não sei se entendi certo, mas você tem mais ‘indiferença’ com seu pai, já no meu caso, é com minha mãe. E eu sei do que você tá falando porque também passo por isso.
    Mas sabe qual a solução que eu uso? Simplesmente ignoro esses comentários e se eles querem finjir que está tudo bem, também faço o mesmo. Mas quando ‘cutucam’ na ferida, a coisa pega fogo.

    Beijos =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: