Tchaaaaau Rio

Luísa ontem: zumbi (não dormi nada), ansiosa para ir embora. E sabe, acho que eu queria ir logo antes que o Rio me convencesse de uma vez a sentir falta dele. Começou a fazer o calor característico da cidade, trinta graus às nove da manhã, um dia exatamente igual ao que eu cheguei. Comparando os dois, vejo como eu estava assustada com tudo ao chegar e como estou ‘acabada’, de certa forma, ao sair. Os dias que existiram entre o início e o fim parecem ter passado tão rápido que me fazem ter a sensação de ter vivido coisas demais em tão pouco tempo. Enfim, dormi que nem morta até Resende, quando começou a chover pra caralho!(Ér, estou trabalhando em parar de falar palavrão, HAUHAUH) Mas sem noção, estava chovendo muito! Dava para sentir a vibração dos raios que caíam por perto. Então, meio que sem querer, acabamos conhecendo Penedo, onde a gente parou. Nunca vi cidade com tanto hotel. Na verdade, hotel foi a única coisa que vi, o que me fez pensar que as pessoas visitam Penedo para conhecer hotéis e pousadas dos mais variados tipos.
Enfim, passado isso, chegamos finalmente na casa dos meus avós aqui em São Paulo. É algo muito agradável ser paparicada por eles. E a minha mãe é muito irritante quando chega aqui, nossa, reclama de tudo, é um mau humor que dá até vergonha, mas tudo bem. TV à cabo (não tenho essas coisas em casa, ok?) e comida o dia inteiro. Bom, muito bom. (: Sabe que nunca fui dessas neuróticas que sentem culpa depois de terem comido muito? Mas depois dessas férias a culpa que sinto está realmente me motivando a procurar uma academia ou qualquer coisa que faça mover esse corpo sedentário e todas essas minhas banhas. Muito proveitosos esses dias por aqui, Bob Esponja, Padrinhos Mágicos, Everybody hates Chris, todos os programas do Animal Planet, CSI, enfim, todas as coisas boas das quais fui privada durante o ano. HAUSHUSH. Amo o sedentarismo e não queria abandoná-lo…mas será preciso.
Amanhã iremos finalmente para Campo Grande. Gurgel me animou pra caramba em relação à cidade. Curtam minha ironia nessa frase, obrigada. Aliás, eu tenho que ensinar às pessoas qualé a da ironia, porque ninguém sabe captá-la. Situação: eu e mais alguém (que não lembro quem, mesmo) passando por um lugar que cheira a esgoto.
Luísa: nossa, que cheirinho bom.
Pessoa: QUÊ? Você gosta de cheiro de esgoto?! Como assim?!
Luísa(respirando fundo): não criatura, eu fui irônica.
Pessoa: mas você não usou entonação de ironia…
Luísa pensa: FODA-SE Seja inteligente o bastante para sacar que ninguém aprecia um cheirinho de esgoto.
Ai, ai. Gente, se fosse pra estar explícito não seria ironia…Tudo bem, parei.

Aposto que isso só será postado uns vinte dias depois de ter sido escrito, porque a internet está uma verdadeira porcaria. Enfim (milésimo enfim que escrevo), espero escrever o próximo post em casa (;

Beijos gatchênhos e gatchênhas ;*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: